Header Ads Widget

header ads

Violência contra mulher: Caso de jovem agredida mobiliza a comunidade em Capanema

Ouça a matéria:   

Mais um caso de violência contra a mulher foi registrado no município de Capanema.

Vídeos com imagens fortes do estado da jovem Nilde Segretto, brutalmente espancada pelo seu companheiro, circularam pelas redes sociais e despertaram revolta na população. 

Segundo informações, o suposto autor do crime é o seu companheiro Allan Diogo, que se encontra foragido até o fechamento dessa  matéria.

Nas imagens, Nilde aparece toda ensaguentada, parcialmente inconsciente e com um profundo golpe na cabeça, ao passo que pessoas próximas, tentavam mantê-la estável enquanto aguardavam a chegada do atendimento médico de urgência. "Ela tá muito mal na UPA e teve um corte profundo na cabeça. Quem ver ele [o companheiro de Nilde] denuncie!" - Afirma a comadre do agressor em uma mensagem de aplicativo.

Diante de tal ato de covardia, a comunidade capanemense está realizando nas redes sociais um protesto com a ‘hashtag’ #justiçaporNildeSegretto e uma carreata só de mulheres está marcada para as 18h:30min desta segunda-feira, em frente ao Clube "Mixto", localizado na Travessa Pedro Teixeira, próximo à Escola Zaira Maciel, no bairro da Pedreira.

"Quando uma mulher sai ferida, nenhuma outra fica bem!" - A frase acompanha uma das mensagens do protesto em favor de Nilde, popularmente conhecida como "Nilde do Bronze". 

Quando o assunto é violência contra as mulheres, a luta parece estar longe de ter fim. Conforme informou a Secretaria de Segurança Pública, só no Estado do Pará houve um aumento de 40% em 2020 nesse tipo de caso e no Brasil, 105.821 denúncias dessa categoria foram registradas no ano passado. 

Prestação de serviço

A Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180 presta uma escuta e acolhida qualificada às mulheres em situação de violência. O serviço registra e encaminha denúncias de violência contra a mulher aos órgãos competentes, bem como reclamações, sugestões ou elogios sobre o funcionamento dos serviços de atendimento.

O serviço também fornece informações sobre os direitos da mulher, como os locais de atendimento mais próximos e apropriados para cada caso: Casa da Mulher Brasileira, Centros de Referências, Delegacias de Atendimento à Mulher (Deam), Defensorias Públicas, Núcleos Integrados de Atendimento às Mulheres, entre outros.

A ligação é gratuita e o serviço funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana. São atendidas todas as pessoas que ligam relatando eventos de violência contra a mulher.

O Ligue 180 atende todo o território nacional e também pode ser acessado em outros países.

Reportagem:

FOLHA 390


Postar um comentário

0 Comentários